sábado, 30 de março de 2013

Resenha - Show do Crystal Castles no Lollapalooza Brasil



Nesta sexta -feira (29), foi um dia muito especial aos fãs da banda canadense, Crystal Castles, que foram ver a banda no festival, é claro! Quem ficou em casa, pensando que veria tudo de boa no sofá, vendo pela Tv a transmissão via canal Multishow, quebrou a cara. Vamos aos fatos!

Os atrasos do evento, que estavam só acumulando desde a primeira banda, teve grande influência no show do Crystal Castles, a penúltima atração do primeiro dia de evento.



A banda também foi culpada pela demora, chegaram à cidade de Paulínia, bem depois do combinado e ainda fez uma longa passagem de som no palco.

Mesmo com a demora e com os gritos de “Simple Plan, Simple Plan” que se ouvia antes do início do show de algumas pessoas que queriam zoar a banda, por ser do Canadá, durou pouco, o show foi uma apresentação bem animada e considerado o melhor do primeiro dia, mesmo com muitos insinuando que foi o show do The Killers o mais animado. 

O som da banda, foi um dos mais pesados dos três dias de festival e deve ter espantado os fãs ainda inquietos, do grupo que lá atrás gritavam de fúria e zoação. 



 Em meio a fãs pisando em muita lama, a banda se apresentou no palco Alternativo do Lollapalooza, começando as 17h15min a banda subiu no palco e saiu às 18h em ponto, quinze minutos antes do horário marcado pelo festival.

 “Plague”, primeiro single do disco (III), abriu o show, que durou 45 minutos. A arte de capa do álbum ( III) -  uma mulher de burca com um homem de peito nu nos braços,  permaneceu no telão ao fundo do palco durante toda a apresentação. Outro problema pra quem estava no show, mais distante do palco era o telão ao lado do palco que não funcionava.


Os problemas do evento vinham desde as poças enormes de lama (já falado) até o som que falhou e muito, em alguns show inclusive o do Crystal Castles. som baixo e  grave, mas o que é até comum nos shows do duo CC, quem conhece a banda sabe que eles fazem um som eletrônico de noise punk, ou seja nada convencional e limpo. Mal se ouvia os vocais de Alice, sempre com muitos efeitos,  ao mesmo tempo barulhento, agressivo, dançante e até pop, o que animou o publico que cantou junto. Se o New Stage já estava na mão de Alice Glass na segunda música, houve também muita gente cruzando o Parque Brasil 500, vindo da tenda Greenspace para assistir ao show do Crystal Castles.


Segundo o G1; "para ver melhor a pequena cantora, também era preciso atravessar a lama com cheiro de cocô de cavalo."

Alice que é famosa pelos pulos na plateia e temperamento intempestivo, que em alguns show tem até brigas, ou a vocalista que deixa o palco sem terminar a apresentação. 


Logo na segunda música, “Baptism”, ela desceu do palco e foi cantar nos braços do público, algo que repetiria diversas vezes depois. De volta ao palco, ela sobe nas caixas de som, levanta a camisa e mostra a barriga para os fãs. 


E também de praxe, a vocalista do Crystal Castles bebeu whisky o show inteiro, (saiu do palco totalmente bêbada)  pilotou as pick ups, moduladores e osciladores de frequência, para mostrar que também sabe fazer um som, como seu parceiro de banda, Ethan Kath, com seus sintetizadores futuristas.

Os pontos altos do show,  foram as faixas do disco Crystal Castles (II), de 2010, com:  Baptism, Celestica e Not in Love. além da canção mais aclamada no show; "Vanished", do primeiro disco da banda (I).

 O som até melhorou do meio para o fim do show.

Enquanto Ethan Kath mantém-se concentrado nos efeitos (acompanhado por um baterista, já de praxe também da banda), deixando aparecer a franja loira sob a touca,( novidade pra os fãs!) Alice moveu-se incessantemente por todo o palco. A etérea “Celestica” deu início a última parte do show, que terminou com "Alice Practice", cantada por boa parte do público. 


Alice saiu do palco sem discurso, honrando sua tradição de shows curtos e intensos.

#Transmissão do Show

 O Crystal Castles, mudou de ideia em cima da hora e desistiu de liberar a transmissão pela TV e pela web.
  lembrando que em 2012, no SWU, não teve acordo e o show não foi transmitido na TV.

Canções transmitidas via TV e internt:

1. Plague
2. Baptism
3. Not In Love

E parte de  Wrath Of God

A banda vez ou outra se envolve em broncas como:

No festival inglês Latitude 2010, ela brigou e socou um fã que pegou no seu seio enquanto ela "surfava" na plateia. "Eu vou te chutar na cabeça se você pegar no meu peito", bradou a moça, enquanto o fã era expulso pelos seguranças do evento.


Brigas com seguranças de shows também já aconteceram. Alice pegou pedaços de bateria para jogar no segurança após desentendimento no festival espanhol Sonar em 2009. Não é difícil achar o registro em que ela e o companheiro de grupo Ethan Kath quebram o palco e brigam com seguranças após show no Fabulous Fest em Nevada, EUA .Todos esses fatos, gravados! Então pode ser um dos motivos para a banda não querer papo com transmissão de show.


Enquanto o show rolava lá em Paulínia, muito se reclamava nas redes sociais, reclamações do tipo; "Muito vacilo essa história de proibir transmissão do show" ou "Acho que os fãs merecem uma justificativa verdadeira e convincente…"

Bem amigos, quem pagou pra ver a banda e foi ao festival com certeza viu o show, agora reclamar porque a banda não deixou que o show passasse na TV não é justificativa para ficar falando besteiras e xingando a banda.Quem conhece a banda sabe que eles não são manipulados pela mídia e vivem no meio underground. Dificilmente se ver eles na TV, quase impossível, ou em sites de fofocas que seja. No máximo aparecem em algumas premiações ou em gravações de shows pelo mundo, feitas por fãs da banda. E claro, fotos que eles mesmos divulgam via redes sociais.
assista o show da banda que foi transmitido: http://www.facebook.com/photo.php?v=486103148110404

Fotos por: Samuel Kobayashi, Crystal Castles Brasil e Crystal Castles Chile.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...