quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Garotas no Vocal - Charlotte Gainsbourg


Charlotte Gainsbourg se destaca por suas atuações em filmes como "Os Miseráveis" e "Anticristo" e mais atualmente em "Melancolia", porém a filha do famoso cantor e poeta frances, Serge Gainsbourg  com a icônica atriz Jane Birkin, possue uma carreira musical consistente entre o eletro-pop e a musica alternativa.


 Charlotte cresceu em meio ao teatro e à música e sempre flertou com ambos os lado, mais com o teatro do que com a musica, porém nos ultimos anos ela dedicou aprte de sua carreira a musica e possui  3 registros como cantora, que vale a pena ser ouvido por quem curte um som mais experimental/eletro-pop. Ela também contribuiu musicalmente com Madonna.

5:55 foi seu primeiro disco oficial, lançado em 2006, antes a artista já havia trabalho com Serge em "Lemon Incest" de 1985, gravado por ela aos treze anos, composto por seu pai. 5:55 é em parceria com Jarvis Cocker (Pulp), Neil Hannon (The Divine Comedy), tendo o duo Air como banda de apoio. O disco foi amado e adiado pela critica que ficou dividida.


Em IRM de 2009, Charlotte começou a trabalhar com Beck Hansen (Beck) um disco aclamado pela critica como ponto alto de sua carreira musical, disco com um ár francês e boêmio, alguns momentos Charlotte lembra sua mãe no ápice da carreira musical láááá atrás. 


IRM foi feito  na época que Charlotte filmava o filme de terror "Anticristo", de Lars Von Trier, no qual é a protagonista e premiada. O disco é uma evolução natural da sonoridade de seu antecessor 5:55, onde vários elementos de gêneros musicais diferentes são mesclados, mas sempre mantendo a já reconhecida identidade musical de Charlotte. A inspiração do álbum surgiu quando Charlotte sofreu um acidente de esqui aquático, resultando em uma hemorragia cerebral. Ela precisou fazer várias ressonâncias magnéticas durante esse período, fato que não só o próprio nome de IRM, como também a sonoridade e as letras da faixa título, fazem referência. Merece destaque a faixa " Le Chat du Café des Artistes" que fala sobre a infância de Charlotte com seu pai. 


O mais recente trabalho de Charlotte é  "Stage Whisper" de 2011, que segue mergulhado nas mesmas incursões sonoras de outrora, embora grande parte do que sustente o trabalho venha de um som cada vez mais ameno e, por que não, pop. Dos sintetizadores dançantes de Terrible Angels ao toque melancólico de Out Of Touch, cada faixa do registro evoca uma exposição intencionalmente comercial, transformando Gainsbourg em uma espécie de diva pop Cult.


Por mais que o disco – um EP de oito faixas – não consiga agregar a mesma estrutura encontrada no último trabalho da cantora, ao longo de todo o álbum é visível uma pequena soma de memoráveis acertos e músicas competentemente aproveitadas.

Fonte:
http://moonflux.com
http://miojoindie.com
wikipédia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...