segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Resenha - Último dia de Quebramar!


O último dia de Festival Quebramar, começou às 22: 00 horas. Com cerca de mais de duas horas de atraso, as primeiras atrações da noite que seria Genezis, Samsara Maya e Mini Box Lunar  ficaram de fora. Mas mesmo com a demora para começar o público não desanimou e muito se ouvia falar da espera da última atração da noite Mallu Magalhães e do cantor Bnegão. Marcado por um público bastante diferenciado essa foi a última noite de apresentações do festival.

mallu Magalhães

Com Juca Culatra e sua banda de apoio, Os Piranhas Pretas, o evento já começou super animado, o carismático cantor que já veio na edição de 2009 do festival, levou o seu conhecido reggae com misturas no brega paraense e  agradou  muito o público  ali presente, que dançou junto com a batida das canções, em seguido é a vez da banda paranaense Uh La La, vinda de tão longe especialmente pra o Quebramar, foi uma das revelações do evento e muito aplaudida em cada canção, a banda também não poupou elogios aos amapaenses. 

Juca Culatra

A Uh La La, banda formada na maioria por mulheres, apresentou seu setlist de canções que falam de situações do cotidiano e com letras simples como “remédio” , “meias azuis” e  “se liga” a banda misturo sons eletrônicos com rock, um  som bem moderno, além de muita simpatia na divulgação de seu disco que pode ser baixado no site da banda aqui!


Uh La La

Uma das atrações mais inusitadas da noite, mas que esbanjou simpatia e teve o respeito do público, mesmo sendo em sua maioria um público “rock” , era a vez da Gang do Eletro, com muitas cores e estilo bem peculiar, fazer muita gente “tremer” no Quebramar , com ritmos eletrônicos e do melody, mais conhecido como “eletromelody”,  levou muita gente a dançar.

Gang do Eletro

Já era cerca de 1:00 hora da noite, quando o esperado cantor BNegão e Seletores de Frequência, sob  ao palco com  a introdução instrumental da canção do Pink Floyd “Another Brick In The Wall ” que logo é substituída pelo som agitado e com pegadas de diversos gêneros como rock, soul, manguebeat e sons afro como o reggae. Foi o cantor subir no palco para começar uma chuva pesada, mas mesmo sob chuva, o público não saiu do local, e pela primeira vez eu vi uma banda tocar na chuva e o público ainda assim ser um dos maiores e mais animados, dançando, rindo e já nem ligando mais pra chuva que não parava de cair cada vez mais forte. 

BNegão

O cantor saudou o público que se mostrou fiel e lembrou-se do afro punk e pra animar mais ainda cantou a canção “ A Verdadeira Dança do Patinho” e pra finalizar uma canção instrumental com beat box. E essa foi a marcante apresentação de BNegão que superou qualquer expectativa dos ali presentes, entra para a lista de shows históricos em Macapá!
BNegão

Com uma chuva fina a última atração da noite gerou dúvidas se subiria mesmo ao palco, porém depois de um breve intervalo a banda de Mallu começa a organizar os instrumentos da cantora no palco, e o público começa a vim para perto do palco na curiosidade de ver a cantora nos bastidores.

Público do show de Mallu

Com a mesmo jeito simples e carisma de sempre visto nas mídias, Mallu sob ao palco e inicia sua apresentação com a canção “Cena” confesso que era a canção que mais desejava ver ao vivo, com um setlist de canções na maioria de seu disco mais recente “Pitanga”, a cantora  embalou o público com  canções como “In the morning” e “Highly sensitive” mostrando o quanto é precoce em suas técnicas vocais e talentos com multi-instrumentos, quem estava esperando por canções mais famosas como “O Preço da Flor”, “Shine Yellow” e a tão pedida “Tchubaruba” infelizmente ficou só na vontade mesmo, porém  pode curtir as canções mais animadas da noite  “Me Gustas Tú”,  e cantou junto com “Olha Só, Moreno”, e pra delírio de todos que esperavam por “Velha e Louca” do disco Pitanga, a cantora soltou os cabelos e vez uma bela apresentação da canção também cantada pelo público ali presente.

Mallu Magalhães

Infelizmente a apresentação de Mallu foi muito breve, em vista de tão longa espera, porém quem estava ali vendo e cantando junto com certeza, valeu cada momento, a cantora fez vale a pena, com uma apresentação marcante e com seu jeito doce e educado tanto com o público como com seus músicos. 

Mallu

Mallu disse que espera que essa seja a primeira de muitas vindas ao estado e que foi um prazer vim tão longe apresentar seu repertório no norte do país. Agradeceu várias vezes ao público pela espera e por mesmo na chuva está ali.


*Fotos deste post são de divulgação da pag do Festival Quebramar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...