domingo, 16 de dezembro de 2012

Resenha - Noite do Metal no Festival Quebramar!


A noite de sábado prometia ser a mais agitada do Festival Quebramar, muita gente estava ansiosa pra ver a banda paulista Korzus, principal atração da noite, segundo a policia militar estima-se que estavam presente no local mais de 5 mil pessoas, a noite foi marcada por belas apresentações e infelizmente muita briga no público, tive a oportunidade de chegar cedo e ver as apresentações desde o inicio até o fim, o que resultou nesta resenha para o blog Anarcolitico.

Dick no palco do Quebramar



Com a apresentação de Michel Arruda (Profetika) e de Hanna Paulino (Hidrah), o Festival Quebramar,  iniciou por volta das 08: 30 hrs, devido pequeno atraso com som e equipamentos. A banda “O sósia”, com uma apresentação descontraída, deu inicio as atrações musicais da noite e teve alguns problemas no som, porém a banda mostrou seu profissionalismo e continuou sua apresentação no melhor estilo das bandas de garagem dos anos 60. Por ser a primeira atração via-se que o público ainda estava bastante tímido.

O Sósia


Segunda banda da noite foi a Mental Caos em um show extremamente marcante e de interação com o público que cantou junto em algumas canções e deu inicio ao que seria o ápice daquela noite, o “Circle Pit”. Onde ao invés de roda de pogo (o que também não faltou) o público, agitou, andando em círculos, se empurrando e pogando ao mesmo tempo, atrevo-se a dizer que foi a melhor banda da noite, só perdendo para a super apresentação do Korzus!

Mental Caos

A Banda novamente agradeceu ao público por conseguir  a vaga na seletiva de bandas do Quebramar e fechou sua ótima apresentação com a canção " mar de sangue" a mais pedida do público ali presente, maioria fãs e amigos da banda Mental Caos. Tico não deixou de lembrar a Banda Anonymous Hate, tanto usando a camisa da banda como lembrando que a AH, está em São Paulo cumprindo agenda de shows.

 Terceira banda da noite, Godzilla, confesso que não prestei tanta atenção na apresentação, mas deu pra perceber o quanto a banda evolui e o vocal rasgado de Raoni  ecoou forte, com certeza é uma das bandas peça do evento.

Raoni a frente da Godzilla
Despede-se Godzilla e sobe a tão esperada Matinta Perera, que também interagiu bastante com o público e pediu pra galera fazer o “Circle Pit”, provocou a galera a agitar em sua apresentação e o público respondeu no melhor estilo, e mais uma vez, uma imagem alucinante e muita poeira e pogação “violenta” no bom sentido.

Matinta Perera
Entre essa alternância entre o metal pesado e bandas mais alternativa, é a vez da Stereovitrola, com um som bem mais limpo do que já vi em suas apresentações anteriores, muito sintetizador e viagens eletrônicas. Destaque para Marinho Pereira e sua marcante performance de palco.

Stereovitrola
Uma apresentação inesperada foi a da banda Calistoga, que estava programada para a noite de hoje, mas se apresentou no lugar da Uh La La, com canções em inglês, levando um hardcore melódico e de qualidade.

Calistoga

Um dos nomes mais esperados foi a banda de thrash metal, Profetika, a banda que teve um suposto fim no palco do  “Liberdade ao Rock” e agora volta as atividades dado continuidade a divulgação de seu EP mais recente “Serial Killer” levantou a galera que estava mais do que preparada para a maior atração da noite, Korzus!


Entre um longo intervalo, passando o som e arrumando os equipamentos, sobe no palco o lendário baixista Dick Siebert, confesso que ver esse cara ao vivo foi um dos grandes momentos pra mim, o cara é uma lenda viva e tem uma performance de palco extremamente única, digna de uma grande banda.

A banda de thrash metal com vasta trajetória era certeza de uma apresentação que marcaria cada um que estava ali. Pra mim a melhor banda de metal a pisar em terras tucujus! Do começo ao fim a apresentação foi empolgante!

Pompeu no Quebramar

Porém antes de dar continuidade a resenha da presentação do Korzus, quero destacar a violência que presencie, infelizmente depois de anos de FQ, essa foi talvez a edição mais violenta do evento, não por culpada da organização do evento, pois é impossível ter uma fiscalização em um lugar tão amplo como o anfiteatro da Fortaleza. 

Mas tirou um pouco da minha alegria ver que o público ainda se porta dessa forma em um evento tão bonito e de integração cultural. Pessoas que como eu estava lá pra ver as atrações quase foram agredidas por sujeitos que  estavam embriagados e não sabem curti um everto como esse em local amplo e aberto. Vi um jovem se espancado por mais de 5 pessoas do meu lado e não poder fazer anda para ajudar  e infelizmente  quase ninguém o ajudou, pude ver  apenas o vocalista da Mental Caos, Tico Souza e um fotografo que estava registrando o evento, tentarem separar aquela zona, com muita indignação. 

Público no show do Korzus
Tanto que a banda Korzus pediu para que todos tivessem calma que eles iam tocar, pois a banda veio de São Paulo não para incitar a violência, mas divertir a todos ali. Muito aplaudido pelo público, Pompeu segue o show. 

Voltando ao show do Korzus, a banda apresentou um setlist já esperando por que tem acompanhado seus trabalhos, com canções do disco “Discipline of Hate’’ (2011) e de trabalhos anterios como "Guilty Silence" do disco Ties of Blood (2004), e a canções clássicas da banda como "2012" e a execução da canção consagrada “Correria” o publico cantou  junto e agitou bastante.  Pompeu teve alguns problemas estomacais e deixa o palco por um breve momento, porém o show continua, segundo ele mesmo, estava se sentindo um pouco enjoado, mas não iria cancelar o show mesmo assim, lembrou ainda a apresentação da banda Torture Squad na edição 2011 do FQ, e causou frisson,  ao dizer que o público de Macapá era o mais alucinado do norte do Brasil! O que levou a galera a agitar ainda mais.

Meu registro da banda Korzus no FQ

Muito bate cabeça na frente ao palco, o publico ficou dividido entre do lado  esquerdo pessoas pogando e fazendo circle pit e do lado direito um publico mais calmo batendo cabeça. Cena marcante da apresentação da banda. A noite foi fechada com o hino da banda “ Guerreiros do metal “ e assim termina o  show do Korzus em Macapá. Com certeza essa noite de 15 de Dezembro dificilmente será esquecida pelos amantes do rock/metal que puderam presenciar umas das bandas mais respeitadas e de qualidade da cena metal nacional!

*Fotos usadas no textos são da divulgação na pag do Festival Quebramar no facebook!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...