quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Garotas no Vocal: Hole

Nessa série vou comentar a discografia ou apenas a história de bandas femininas, que vale a pena ouvir ao menos uma vez na vida, quem sabe não te interesse a conhecer o trabalho dessas mulheres, que fizeram acontecer :)

Todas essas bandas passarão por aqui , e ai conhece alguma?
Sempre tenho o prazer de divulgar  e difundir as ideias das riot grrrls e o talento das meninas que rebelaram-se e fizeram musica sem apoio de muitos, talvez, mas fizeram acontecer, e agora são exemplos da nossa geração, e de meninas e meninos que querem formar bandas com contéudo, e não só vender.

Os disco aqui indicados são de riot grrrls, punk e grunge em sua maioria, garotas que fizeram e fazem a "Revolution Girl style", a maioria é dos anos 90, onde as garotas uniram-se e começaram a fazer musica no meio underground dos Estados Unidos, mas também dos anos 70 que são as referências das garotas noventista, as suas musicas contém mensagem de feminismo e de apoio as mulheres, garotas fazendo o melhor barulho, com protesto e charme, por que não?  :)

E para iniciar essa série ,oficialmente, temos Hole , por que foi a banda que me abriu horizontes para conhecer e gosta de meninas que fazem musica, seja qual for o seguimento, juro que tinha o maior preconceito com bandas femininas , agora veja onde estou, divulgando e conhecendo cada vez mais as bandas com garotas no vocal.

Pretty on the Inside: Início Selvagem

È sempre um grande prazer falar desta banda, que apesar de muito comentada é pouco conhecida.

primeira das muitas formações
As pessoas se prendem a acusações a Courtney Love e deixam de lado o valor e força da musica, infantilmente não  sabem separar o artista de sua vida pessoal.

Então vou evitar vida pessoal e focar no trabalho de Love, que é o que ela faz de melhor :)

Formada em 1989 por Courtney Love e Eric Erlandson em Los Angeles depois de algumas experiências fracassadas em bandas, de punk rock, incluindo o trabalho com a antiga amiga Kat Bjelland no Sugar Baby doll.

Em 1990 a banda lançou como single a canção "Retard Girl", que deu a banda uma notoriedade e a oportunidade de uma turnê pelo EUA, além de um contrato com a gravadora Caroline Records, começa, Hole a ser notada e ganhar fama. 


"Pretty on the Inside", foi lançado em setembro de 1991, com apenas 4 dias de gravação, foi produzido por Kim Gordon, baixista do Sonic Youth, e teve pouca influência de Cobain, o álbum apresenta  um som punk barulhento, com muitos gritos e letras selvagens, caracteristicas que Courtney herdou do seu trabalho anterior com o Sugar Baby doll.

 As canções de destaque são com toda certeza a clássica " teenage whore", sobre uma conversa de courtney com sua mãe.

Além de "Baby doll", selvagem e sensual ao mesmo tempo e " Be a man" uma da mais bem sucedidas do álbum.

O álbum foi o mais difícil da carreira da banda, mas até hoje é elogiado e desde seu lançamento foi bem recebido pela critica especializada, tanto que ganhou destaque em 2011, ao aparecer  na lista dos "20 maiores álbuns de 1991", pela revista SPIN. 


Os álbuns seguintes da Hole não tiveram mais esse peso, tornando esse álbum único na carreira da banda, ótimo por excelência.



Live Through This: O auge e o Buraco

Em fevereiro de 1994, o álbum sarcasticamente intitulado "Live Through This", estava finalizado e com data de lançamento prevista para abril daquele ano. 

O álbum era bastante esperado  pelos críticos de revistas musicais, mais pelo fato de ter como produtor e até autor Kurt Cobain, as musicas foram todas feitas na casa do casal, gerando duvidas se Kurt não deu uma mãozinha em algumas letras.
Courtney admitiu em entrevista a revista Q:" Os vocais de Kurt estão em quase todas as canções", mas bem no fundo, que chega a ser imperceptivel.

Citações ao nirvana não faltam neste disco.

Caraterizava-se também por uma mudança nos rumos musicais do Hole: Agora com um som mais melódico e bem arranjado, com músicas bem estruturadas, mas sem deixar de ser punk, e a mistura de momentos de pura distorção e gritos com cantos suaves e violões.

Ou seja um álbum harmonioso e para muitos é o melhor da banda, eu concordo :)

E praticamente impossível não falar de Kurt Cobain ao tentar decifrar esse disco, até queria falar o minimo do Nirvana, porém não tem jeito, então vamos lá.

no dia 8 de Abril de 1994, Kurt foi encontrado morto com um tiro na cabeça, no sótão de sua casa em Seattle.

Em uma sincronia infeliz, "Live Through This" foi lançado duas semanas após a tragédia, mesmo Courtney estando num momento infeliz, a gravadora não podia mais adiar seu lançamento.

A turnê que a banda faria pelos Estados Unidos foi cancelada por tempo indeterminado, devido ao estado emocional da cantora. 


Porém em junho de 1994, o Hole faz uma reunião e seus integrantes concordam em retomar as atividades da divulgação do disco.

uma nova formação de 1998
 Mais uma tragedia atormentou a banda nesse período que estava parada, com duas semanas da morte de Kurt,  Kristen Pfaff  visivelmente abatida com a morte do cantor e amigo, resolveu sair da banda e voltar para Minneapolis no dia 15 de junho, morreu por overdose de heroína aso 27 anos de idade.

Quem encontrou o corpo da baixista foi é seu  namorado, Eric Erlandson, também da banda Hole.

Após a morte de Kristen, uma nova  baixista foi recrutada, a jovem canadense Melissa Auf Der Maur, que já havia tocado com Billy Corgan (Smashing Pumpkins) e que permaneceu na banda até 2002. 

O album inicialmente era dedicado para  Joe Cole, um amigo assassinado de Love, enquanto voltava do show da Hole.

No Reading Festival em 1994
Porém ficou marcado por tragédias pessoais, que o tornaram ainda mais celebre.

Na canção Olympia (Rock star)  courtney diz: 

"Você queria estar no Nirvana? Acho que iria preferir está morto(...)"

Deixando a duvida se foi Cobain quem a escreveu.

Dou ainda destaque pra "Doll Parts" uma declaração de amor de Love a seu marido, os dois firam essa canção e chegaram até a cantar junto em um concerto.

Ainda a " Miss World" onde Courtney se diverte com a fama de briguenta, uma provocação a seus desafetos. 

Destruidora " Jennifer´s Body" obrigatória para quem deseja conhecer o trabalho da banda,  é aquela canção que toda garota infernal  e má deve  ouvir".

A Hole retomou sua carreira em agosto de 1994, em um show no Reading Festival, na Inglaterra.



Celebrity Skin : O fim?
Celebrity Skin lançou um som completamente novo, uma sonoridade mais pop, o álbum foi um sucesso de crítica,  o mais popular e conhecido,com as populares: "Celebrity Skin" e "Malibu".

Assim como  o disco "Live Through This", alcançou a marca de 1 milhão de cópias vendidas nos EUA.

Entre seus co-autores estão Billy Corgan, que sempre ajudou Love nas letras e produção de seus discos, mesmo na época que era casada com Cbain, que não gostava nadinha do front-man do Smashing Pumpkins.

Todas as musicas tem referencia na vida particular de Love e seus amores, dos quais " Boys on The Radio" fala dos cantores, Jeff buckley, Brian Wilson e Evan Dando (Lemonheads).

"Awful" fala do caso de Love com Gavin Rossdale vocalista da banda grunge Bush.

E como não poderia faltar, as musicas em homenagem a seu eterno marido Kurt Cobain: " Northern Star" e "Dying" que chega a emocionar, onde Love revelar sua dor por perde Kurt de forma tão desastrosa e a tristeza deixado apos seu suicídio.

Com toda certeza são as musicas que mais valem a pena no disco.

Love e Erlandson oficialmente disseram que a banda havia sido dissolvida através de uma mensagem postada no site da banda em 2002, love seguiu carreira solo nesse meio tempo.


Nobody's Daughter: Um novo Recomeço

Em 2009  havia supostos comentários sobre a volta de Courtney e da Hole. 

Courtney em 2011
Nobody's Daughter , era pra ser mais um album solo de Love, mas com apoio de amigos ela reviveu a Hole, alegou "Esse álbum só poderia sair em um nome, Hole". 

2 anos  do lançamento do disco "Nobody's Daughter", até o momento a banda fez uma turnê e algumas aparições em programas de televisão, em  2011 Courtney Love  lançou o novo vídeo clipe, da canção nº5 do disco "Samantha".

Lançado mundialmente em 27 de abril de 2010. É o primeiro álbum da banda em 12 anos, desde "Celebrity Skin " de 1998.

A história do disco como sempre é regado de confusão da vida da cantora.

" Esse álbum é muito pessoal,(...) sou eu e meu violão." afirmou Love.

 Em setembro de 2005, em uma violação ilegal sobre uso de drogas, Courtney Love foi sentenciada a seis meses em um centro de reabilitação, ela foi liberada três meses depois e sentenciada a passar os outros três meses que restavam em sua casa, os problemas da cantora com drogas perduravam desde seu casamento com Kurt, de lá pra cá teve várias recaídas.

Durante o período na clinica, sua amiga e produtora Linda Perry visitou Love a apoiou e a encorajou a escrever novas canções, lhe dando um violão Martin, é visível a presença deste instrumento nas novas canções.

Courtney escreveu oito canções em sua reabilitação, são elas: "My Bedroom Walls", "The Depths of My Despair", "Sad But True" e "How Dirty Girls Get Clean".( a maoiria desta musicas sofreram mudanças no nome).

Billy Corgan e Linda Perry são as principais pessoas envolvidas na gravação do disco; Corgan ajudou Love na maioria das gravações das demos  e assumiu o papel de guitarrista na maioria das músicas, enquanto Perry co-escreveu algumas das novas canções  como a belíssima " Letter to god" e assumiu o cargo de produtora do álbum.

Linda Perry declarou em 2006: "minha maior dedicação no momento é trazer de volta a rainha do rock and roll, ela é Courtney Love…
Meu trabalho agora é fazer com que ela lance um novo álbum de puro rock and roll que todos vão amar."

As canções do disco alternam na sonoridade, temos  a agitada "Skinny Little Bitch" que lembra os velhos tempos de Hole, uma provocação que Love mandou a modelo brasileira Gisele Bündchen no SWU.

"Pacific coast Highway" tem aquele clima de fimzinho de tarde uma canção ótima pra relaxar.

Seguindo de " Letter to God", que é uma das jóias deste disco , uma conversa com Deus cheia de reflexões e um pedido de ajuda, sem dúvida a letra é uma das melhores.


A capa do disco , não passa despercebida, é um famoso retrato da rainha francesa Maria Antonieta pintado por Élisabeth-Louise, dez anos antes da rainha ser decapitada na Revolução Francesa.

Encarte do disco Nobody´s Daughter
fonte:wikipédia

Um comentário:

  1. Hole é realmente muito foda. Eu confesso que no começo eu não gostava muito da Love, mas acabei descobrindo um mundo novo, "Riot Grrrl" e "KinderWhore", e hoje eu amoooo a Courtney, ela é tão sexy quanto é poderosa <3

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...