terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Vale a Pena Ver: Três Acordes de Cólera (Documentário)



Já faz alguns meses que  o vocalista da banda Cólera, Redson Pozzi, nos deixou.

Pozzi, que faleceu após uma parada cardio-respiratória no dia 27 de Setembro,  de forma inesperada e foi uma apunhalada a cena punk, bem lembro que ano passado havia uma grande comoção que a banda poderia ser, o proximo " mito" punk a vir em Macapá, logo após o Show dos Garotos Podres no Garagem Universitária, era o que mais se falava, afinal tivemos Ratos de Porão, Mukeka di rato e até Garotos Podres, logicamente que pra fechar esse ciclo punk/HC, faltava uma das maiores bandas punk brasileiras, o Cólera, mas infelizmente o destino nos presenteou com a triste fatalidade, chegaram a passar em Belém, mas nunca a pisar em solo tucuju. 
A morte de Redson, causou comossão entre seus fãs na internet, e na ocasião houve espanto das grandes mídias e massa, quando a triste notícia ficou entre os principais "trend topics" em sites de busca e redes sociais, nada surpreendente para quem vive, ou viveu, e está sempre procurando noticias da cena underground/punk e sabe e conhece o pioneirismo do Cólera e de Redson.

Agora para suprir um pouco da falta da banda, temos o documentário: "TRÊS ACORDES DE CÓLERA", produzido durante a conclusão de curso de Paula Harumi e Thais Heinisch, duas estudantes de comunicação social da PUC e fãs da banda, no ano de 2005 foi exibido pela TV PUC e agora disponibilizado no YOUTUBE.

O documentário é uma boa oportunidade para os que queiram se lembrar (ou inteirar-se) da importância da banda para a cena underground brasileira, e para aqueles que só ouviram falar de Redson e Cólera após sua morte, à qual todos nós, independente de opções estéticas, devemos respeito.

Uma banda que conseguiu ser independente por 30 anos sem precisar de apoio das grandes midia ou dinheiro de leis de incentivo. 

Honestidade autoral, integridade artística e coerência ideológica esse foi o Cólera.

Fontes:
www.valepunk.com
terceiromundohc.blogspot.com

2 comentários:

  1. Oi Josi,

    Não curti a banda, mas valorizo o que marcou a sua trajetória, originalidade e autonomia.
    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
  2. "Crássicu", muito "crássicu"!!!
    Muitas feridas do meu fígado são culpa dessa banda...
    E Pozzi valeu muito, cara!!!

    E meus parabéns pelo post.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...