terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Garotas No Vocal - Texas Terri Bomb


Texas Terri, nascido Terri Laird em 6 de abril de 1955,  é considerada uma das rainhas do underground, cantor e compositor da banda de punk Texas Terri Bomb, Laird cresceu em Fort Worth , Texas, e alega ter passado boa aprte de sua infância e adolescência na frente do espelho treinando para ser uma estrela de rock. Saiu de sua cidade, Austin no Texas, e mudou-se para Los Angeles, na California em 1984.


Em Hollywood , Califórnia , em 1984, ela formou banda de rock "The Crows" o lixo assassino. Depois de sua ruptura com a banda e uma pausa de três anos, ela formou "Texas Terri & The Stiff Ones" com Don "Devil boy" Cilurso que se tornou seu parceiro de composição na música. Eles lançaram um álbum em 1998 chamado "Eat Shit" (para baixar via torrent click no link) o album foi lançado duas vezes, primeiro como "Eat Shit 1" e mais recentemente "Eat Shit 4", com isso a banda alcançou um status de banda "cult" considerável na América e na Europa ao longo de seus 6  anos juntos.


Com a ruptura da banda por motivos e brigas pessoais  entre Terri e Cilurso, Terri mudou-se para Berlim, Alemanha, em 2007.  E mudou o nome para 'Texas Terri Bomb!' com esse nome, ela lançou mais um disco,  produzido pelo produtor Jack Douglas e contou com a participação especial de Wayne Kramer do MC5 (embora ela depois afirmasse que originalmente queria Lemmy Kilmister na faixa gravada)


Texas Terri possui um estilo e perfomace de palco bem diferente e  sempre foi comparada a Iggy Pop, Mick Jagger e a icônica Wendy O Williams.

As comparações com a vocalista do Plasmatics são as mais curiosas, pois Wendy O Williams, coincidentemente se suicidou no dia do aniversário de Terri, e assim como Wendy, ela desenvolveu uma reputação de selvagem no palco, e de fazer performances seminua no palco incluindo performances regulares onde ela arrancar sua camisa para apenas ser censurado pela leitura em fita isolante em seus seios com "TXT" (referência a seu nome). 




segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Resenha - Último dia de Quebramar!


O último dia de Festival Quebramar, começou às 22: 00 horas. Com cerca de mais de duas horas de atraso, as primeiras atrações da noite que seria Genezis, Samsara Maya e Mini Box Lunar  ficaram de fora. Mas mesmo com a demora para começar o público não desanimou e muito se ouvia falar da espera da última atração da noite Mallu Magalhães e do cantor Bnegão. Marcado por um público bastante diferenciado essa foi a última noite de apresentações do festival.

mallu Magalhães

Com Juca Culatra e sua banda de apoio, Os Piranhas Pretas, o evento já começou super animado, o carismático cantor que já veio na edição de 2009 do festival, levou o seu conhecido reggae com misturas no brega paraense e  agradou  muito o público  ali presente, que dançou junto com a batida das canções, em seguido é a vez da banda paranaense Uh La La, vinda de tão longe especialmente pra o Quebramar, foi uma das revelações do evento e muito aplaudida em cada canção, a banda também não poupou elogios aos amapaenses. 

Juca Culatra

A Uh La La, banda formada na maioria por mulheres, apresentou seu setlist de canções que falam de situações do cotidiano e com letras simples como “remédio” , “meias azuis” e  “se liga” a banda misturo sons eletrônicos com rock, um  som bem moderno, além de muita simpatia na divulgação de seu disco que pode ser baixado no site da banda aqui!


Uh La La

Uma das atrações mais inusitadas da noite, mas que esbanjou simpatia e teve o respeito do público, mesmo sendo em sua maioria um público “rock” , era a vez da Gang do Eletro, com muitas cores e estilo bem peculiar, fazer muita gente “tremer” no Quebramar , com ritmos eletrônicos e do melody, mais conhecido como “eletromelody”,  levou muita gente a dançar.

Gang do Eletro

Já era cerca de 1:00 hora da noite, quando o esperado cantor BNegão e Seletores de Frequência, sob  ao palco com  a introdução instrumental da canção do Pink Floyd “Another Brick In The Wall ” que logo é substituída pelo som agitado e com pegadas de diversos gêneros como rock, soul, manguebeat e sons afro como o reggae. Foi o cantor subir no palco para começar uma chuva pesada, mas mesmo sob chuva, o público não saiu do local, e pela primeira vez eu vi uma banda tocar na chuva e o público ainda assim ser um dos maiores e mais animados, dançando, rindo e já nem ligando mais pra chuva que não parava de cair cada vez mais forte. 

BNegão

O cantor saudou o público que se mostrou fiel e lembrou-se do afro punk e pra animar mais ainda cantou a canção “ A Verdadeira Dança do Patinho” e pra finalizar uma canção instrumental com beat box. E essa foi a marcante apresentação de BNegão que superou qualquer expectativa dos ali presentes, entra para a lista de shows históricos em Macapá!
BNegão

Com uma chuva fina a última atração da noite gerou dúvidas se subiria mesmo ao palco, porém depois de um breve intervalo a banda de Mallu começa a organizar os instrumentos da cantora no palco, e o público começa a vim para perto do palco na curiosidade de ver a cantora nos bastidores.

Público do show de Mallu

Com a mesmo jeito simples e carisma de sempre visto nas mídias, Mallu sob ao palco e inicia sua apresentação com a canção “Cena” confesso que era a canção que mais desejava ver ao vivo, com um setlist de canções na maioria de seu disco mais recente “Pitanga”, a cantora  embalou o público com  canções como “In the morning” e “Highly sensitive” mostrando o quanto é precoce em suas técnicas vocais e talentos com multi-instrumentos, quem estava esperando por canções mais famosas como “O Preço da Flor”, “Shine Yellow” e a tão pedida “Tchubaruba” infelizmente ficou só na vontade mesmo, porém  pode curtir as canções mais animadas da noite  “Me Gustas Tú”,  e cantou junto com “Olha Só, Moreno”, e pra delírio de todos que esperavam por “Velha e Louca” do disco Pitanga, a cantora soltou os cabelos e vez uma bela apresentação da canção também cantada pelo público ali presente.

Mallu Magalhães

Infelizmente a apresentação de Mallu foi muito breve, em vista de tão longa espera, porém quem estava ali vendo e cantando junto com certeza, valeu cada momento, a cantora fez vale a pena, com uma apresentação marcante e com seu jeito doce e educado tanto com o público como com seus músicos. 

Mallu

Mallu disse que espera que essa seja a primeira de muitas vindas ao estado e que foi um prazer vim tão longe apresentar seu repertório no norte do país. Agradeceu várias vezes ao público pela espera e por mesmo na chuva está ali.


*Fotos deste post são de divulgação da pag do Festival Quebramar.



domingo, 16 de dezembro de 2012

Resenha - Noite do Metal no Festival Quebramar!


A noite de sábado prometia ser a mais agitada do Festival Quebramar, muita gente estava ansiosa pra ver a banda paulista Korzus, principal atração da noite, segundo a policia militar estima-se que estavam presente no local mais de 5 mil pessoas, a noite foi marcada por belas apresentações e infelizmente muita briga no público, tive a oportunidade de chegar cedo e ver as apresentações desde o inicio até o fim, o que resultou nesta resenha para o blog Anarcolitico.

Dick no palco do Quebramar



Com a apresentação de Michel Arruda (Profetika) e de Hanna Paulino (Hidrah), o Festival Quebramar,  iniciou por volta das 08: 30 hrs, devido pequeno atraso com som e equipamentos. A banda “O sósia”, com uma apresentação descontraída, deu inicio as atrações musicais da noite e teve alguns problemas no som, porém a banda mostrou seu profissionalismo e continuou sua apresentação no melhor estilo das bandas de garagem dos anos 60. Por ser a primeira atração via-se que o público ainda estava bastante tímido.

O Sósia


Segunda banda da noite foi a Mental Caos em um show extremamente marcante e de interação com o público que cantou junto em algumas canções e deu inicio ao que seria o ápice daquela noite, o “Circle Pit”. Onde ao invés de roda de pogo (o que também não faltou) o público, agitou, andando em círculos, se empurrando e pogando ao mesmo tempo, atrevo-se a dizer que foi a melhor banda da noite, só perdendo para a super apresentação do Korzus!

Mental Caos

A Banda novamente agradeceu ao público por conseguir  a vaga na seletiva de bandas do Quebramar e fechou sua ótima apresentação com a canção " mar de sangue" a mais pedida do público ali presente, maioria fãs e amigos da banda Mental Caos. Tico não deixou de lembrar a Banda Anonymous Hate, tanto usando a camisa da banda como lembrando que a AH, está em São Paulo cumprindo agenda de shows.

 Terceira banda da noite, Godzilla, confesso que não prestei tanta atenção na apresentação, mas deu pra perceber o quanto a banda evolui e o vocal rasgado de Raoni  ecoou forte, com certeza é uma das bandas peça do evento.

Raoni a frente da Godzilla
Despede-se Godzilla e sobe a tão esperada Matinta Perera, que também interagiu bastante com o público e pediu pra galera fazer o “Circle Pit”, provocou a galera a agitar em sua apresentação e o público respondeu no melhor estilo, e mais uma vez, uma imagem alucinante e muita poeira e pogação “violenta” no bom sentido.

Matinta Perera
Entre essa alternância entre o metal pesado e bandas mais alternativa, é a vez da Stereovitrola, com um som bem mais limpo do que já vi em suas apresentações anteriores, muito sintetizador e viagens eletrônicas. Destaque para Marinho Pereira e sua marcante performance de palco.

Stereovitrola
Uma apresentação inesperada foi a da banda Calistoga, que estava programada para a noite de hoje, mas se apresentou no lugar da Uh La La, com canções em inglês, levando um hardcore melódico e de qualidade.

Calistoga

Um dos nomes mais esperados foi a banda de thrash metal, Profetika, a banda que teve um suposto fim no palco do  “Liberdade ao Rock” e agora volta as atividades dado continuidade a divulgação de seu EP mais recente “Serial Killer” levantou a galera que estava mais do que preparada para a maior atração da noite, Korzus!


Entre um longo intervalo, passando o som e arrumando os equipamentos, sobe no palco o lendário baixista Dick Siebert, confesso que ver esse cara ao vivo foi um dos grandes momentos pra mim, o cara é uma lenda viva e tem uma performance de palco extremamente única, digna de uma grande banda.

A banda de thrash metal com vasta trajetória era certeza de uma apresentação que marcaria cada um que estava ali. Pra mim a melhor banda de metal a pisar em terras tucujus! Do começo ao fim a apresentação foi empolgante!

Pompeu no Quebramar

Porém antes de dar continuidade a resenha da presentação do Korzus, quero destacar a violência que presencie, infelizmente depois de anos de FQ, essa foi talvez a edição mais violenta do evento, não por culpada da organização do evento, pois é impossível ter uma fiscalização em um lugar tão amplo como o anfiteatro da Fortaleza. 

Mas tirou um pouco da minha alegria ver que o público ainda se porta dessa forma em um evento tão bonito e de integração cultural. Pessoas que como eu estava lá pra ver as atrações quase foram agredidas por sujeitos que  estavam embriagados e não sabem curti um everto como esse em local amplo e aberto. Vi um jovem se espancado por mais de 5 pessoas do meu lado e não poder fazer anda para ajudar  e infelizmente  quase ninguém o ajudou, pude ver  apenas o vocalista da Mental Caos, Tico Souza e um fotografo que estava registrando o evento, tentarem separar aquela zona, com muita indignação. 

Público no show do Korzus
Tanto que a banda Korzus pediu para que todos tivessem calma que eles iam tocar, pois a banda veio de São Paulo não para incitar a violência, mas divertir a todos ali. Muito aplaudido pelo público, Pompeu segue o show. 

Voltando ao show do Korzus, a banda apresentou um setlist já esperando por que tem acompanhado seus trabalhos, com canções do disco “Discipline of Hate’’ (2011) e de trabalhos anterios como "Guilty Silence" do disco Ties of Blood (2004), e a canções clássicas da banda como "2012" e a execução da canção consagrada “Correria” o publico cantou  junto e agitou bastante.  Pompeu teve alguns problemas estomacais e deixa o palco por um breve momento, porém o show continua, segundo ele mesmo, estava se sentindo um pouco enjoado, mas não iria cancelar o show mesmo assim, lembrou ainda a apresentação da banda Torture Squad na edição 2011 do FQ, e causou frisson,  ao dizer que o público de Macapá era o mais alucinado do norte do Brasil! O que levou a galera a agitar ainda mais.

Meu registro da banda Korzus no FQ

Muito bate cabeça na frente ao palco, o publico ficou dividido entre do lado  esquerdo pessoas pogando e fazendo circle pit e do lado direito um publico mais calmo batendo cabeça. Cena marcante da apresentação da banda. A noite foi fechada com o hino da banda “ Guerreiros do metal “ e assim termina o  show do Korzus em Macapá. Com certeza essa noite de 15 de Dezembro dificilmente será esquecida pelos amantes do rock/metal que puderam presenciar umas das bandas mais respeitadas e de qualidade da cena metal nacional!

*Fotos usadas no textos são da divulgação na pag do Festival Quebramar no facebook!

Programação de Domingo, ultimo dia do Festival Quebramar!!!



16:00h – CDC - #PosTv: Cinema no Brasil do Século XXI - Convidada: produtora do filme  indicado ao Oscar 2012 "O Palhaço"  Vânia Catani (RJ).

Vânia Catari
Vânia tem uma longa trajetória  no cinema nacional, sua carreira começou por volta da decada de 90, produziu o longa-metragem "Outras estórias" (1999), de Pedro Bial, e o documentário "Os nomes do Rosa" (1999), também de Pedro Bial, feito para a televisão.  Em 2003 Vânia Catani produz o melhor filme lançado em 2004, o arrebatador “Narradores de Javé”, sua carreira é marcada por documentários e filmes de ficção. Possui mais de 10 filmes em sua filmografia incluindo o filme "O Palhaço" que estará sendo exibido na programação do Festival Quebramar, após a exibição do filme rola um bate-papo/debate com Vânia, e o público amapaense cinefilo e que quer seguir essa carreira tem a oportunidade de trocar idéias com a produtora.

18h30 - Praça da Bandeira Concentração: Pedal #VádeBike!


Programação Musical de Domingo

19:30h –  Genezis (AP)  formada no final do ano de 1997, na cidade de Natal, a banda é atuante e conhecida no cenário amapense e já se apresentou diversas vezes nos mais variados eventos locais de rock/metal, com um som alternativo.

Genezis

20:10h –  Samsara Maya (AP) a banda que segundo a pag deles no Facebook, leva um som "Alt-prog-pop-art-rock-brasileiro" tem agrado em suas apresentações ao longo de 2012!

20:45h – Mini Box Lunar (AP) talvez uma das bandas amapense mais conhecidas fora do estado, já se apresentou nos mais variados festivais pelo Brasil é presença confirmada a cada edição do Festival Quebramar, emcabeçada pela carismatica vocalista Heluana Quintas, já possui público fiel espalhado pelo Brasil todo.

Heluana a frente da Mini Box Lunar

21:20h –  Juca Culatra e os Piranhas Pretas (PA) reggae direto do Pará, com misturas no brega, é a segunda vinda de Juca ao Quebramar.

21:55h – Uh La La (PR)- a banda paranaese, vinda diretamente para o festival é conhecida pelas misturas eletrônicas que lembra video games antigos com elementos musicais de “iê iê iê”, new wave e garage rock,e muitas doses de sintetizadores, como na noite de sábado se apresentou a banda de post-hardcore Calistoga ficam duvidas se a Uh La La se apresenta no lugar deles hoje

Uh La La


22:30h –  Gang do Eletro (PA) o grupo paraense Gang do Eletro surgiu em 2008, uma idéia do DJ Waldo Squash e pelo cantor Marcos Maderito. As composições retratam a realidade dos subúrbios de Belém, com uma sonoridade de misturas entre o tecnobrega, a música caribenha, o eletro e a house, criando o eletromelody, tem atraído bastante a atenção da mídia, sendo citado em veículos como Rolling Stone, MTV, Billboard, O Globo, Revista Vice e os internacionais The Wire e MTV e se destacado no circuito alternativo.
Gang do Eletro

23:05h –  BNegão e os Seletores de Frequências (RJ) com carreira iniciada em meados dos anos 90, Bnegão ficou famoso por substituiu o rapper Skunk (fundador do Planet Hemp), em diversos shows da banda. BNegão & os Seletores de Frequência lançaram em 2012 "Sintoniza Lá", com onze faixas que trazem influências de diversos estilos como reggae, rock e o funk, sendo premiado no VMB MTV 2012 como melhor álbum do ano, em agosto de 2012 participou do encerramento dos Jogos Olímpicos de Londres, homenageando o cantor e compositor olindense Chico Science.


Bnegão e os Seletores de Frequência


23:55h – Mallu Magalhães (RJ) em 2007, aos 15 anos, Mallu juntou algum dinheiro e gravou quatro de suas músicas, disponibilizando-as na internet por meio do site MySpace. Janeiro de 2008, fez sua primeira apresentação acompanhada por músicos profissionais. Foi convidada a abrir o show da banda Vanguart e até participou do Dvd ao vivo da banda. Mallu despertou a atenção de jornalistas e críticos musicais por suas interpretações das músicas "Folsom Prision Blues" de Johnny Cash e "It Ain´t Me" de Bob Dylan, ambas registradas no programa Popload de Lucio Ribeiro. A cantora foi  apontada como revelação da música brasileira, sendo aclamada por publicações como Rolling Stone Brasil, Revista Trip, e Bravo! pela sua precocidade, espontaneidade e talento para compor e cantar tanto em inglês como em português. Com três disco lançados e com sucesso pelo Brasil todo, ela é a principal atração da noite de fechamento de Quebramar!!A noite de hoje é diversificada com os mais variados estilos musicais, promovendo integração da musica no Amapá e derrubando as barreiras do preconceito que bandas de brega, reggae, rock e alternativo não podem tocar no mesmo palco para um público unico!



Mallu Magalhães

sábado, 15 de dezembro de 2012

"O Hobbit - Uma Jornada Inesperada" Marca Uma Nova Era nos Cinemas!


Sexta-Feira, dia 14 de Dezembro de 2012, foi um dos dias mais esperado deste ano, por essa blogueira, primeiro por ser o dia da estreia de um dos filmes mais aclamados deste ano, se não o melhor de 2012, me atrevo a afirma! A adaptação de "O Hobbit" de J R R Tolkien, livro que li em 2009 ainda cursando o ensino médio, logicamente atraída pelas histórias do escritor em  "O Senhor dos Anéis" e "O Silmarillion."
Porém a sexta 14, foi um dia conturbado e até um pouco diferente do que eu havia idealizado, em 14 de Dezembro de 2011, quando escrevi um texto "chamada" para o filme aqui no blog. 


Primeiro que era meu ultimo dia do 2º Semestre  na universidade, finalmente chegava minhas férias, mas não de maneira leve, mas um dia cheio de provas e apresentações, além de ter de fazer algumas coisas pessoais pela cidade,ou seja rodar muito por Macapá andando, de ônibus e por ai vai. Enfim foi um dia ultra corrido, porém sempre na cabeça que às 21h30min horas daquele dia eu iria finalmente ver o filme que tanto aguardei, iria ver feliz do lado do meu namorado e na paz por ter feito tudo o que havia planejado durante este dia, mesmo que os resultados fossem negativos, uma semana de estudo para tudo ocorrer bem, e o que tive de recompensa foi um dos dias mais gratificantes de 2012.


As 21 h cheguei ao cinema, garanti meus dois pôster da trilogia, um do meu personagem favorito Gandalf e do personagem favorito de minha irmã, Gollum.  Logo entro na sala 01, do Cine Imperator, pra ver o filme, em companhia coincidentemente de algumas amigas na mesma fila que eu estava, a primeira fila, lá estava eu, na poltrona de numero 01! A ânsia tomou conta da sala, mas foi substituída pela frustação de um erro do cine que colocou o filme dublado o que levou o público a vaiar, pois nossa sessão era logicamente legendada. Troca de filme e lá vamos, eu, meu namorado, amigos e estranhos a Terra Média! Gritando com euforia a cada aparição de personagens tão esperados.

As primeiras sensações que se tem do filme são a de saudosismos com a aparição de Frodo e do velho Bilbo, mas logo somos transportados à história da rivalidade entre anões e elfos, muito bem adaptada no cinema e extremamente emocionante.
Aparição de Thranduil, causou delirio em muitos fãs da saga

Mais uma cena marcante na trilogia OSDA, da linda paisagem do Condado e com Bilbo e finalmente Gandalf, O Cinzento. As cenas são extremamente fieis as narradas no livro e para alegria dos fãs de J R R Tolkien, o filme não fugiu do livro como tantos vinham escrevendo em blog e sites especializado, muito se falou que o filme é monótono e não acontece nada nessa primeira parte, porém acredito que essas pessoas não leram o livro apenas releases, a jornada apenas está começando e será feitas três filmes, é preciso explicar muita coisa que ficou sem ser explicada em OSDA e que possui fonte nos outros livros, ainda bem que tenho e pude conferir cada ponto nos livros)   a adaptação em primeiro momento foi bastante positiva, existem os pontos negativos, mas logo são supridos pelos positivos que são muito maiores, Pois a adaptação não descaracterizou a história de Tolkien, sabe-se até que teve brigas entre Jackson e a família Tolkien por causa dessa trilogia para os cinemas. 



O filme ganhou um  ar adulto. Peter Jackson conseguiu se superar na evolução tecnológica que apresenta neste filme, totalmente fantástico cada cenário e efeitos em 3D, o diretor  mostrou porque ele foi o escolhido para dirigir "O senhor dos Anéis” e agora da sequência de mais uma obra de Tolkien. O filme é dividido em momento de pura tensão, ação e outros extremamente divertidos, mas me marcou novamente a questão da amizade e da valorização da bondade como virtude a ser preservada ( logo lembrei de cada aula de ética e de filosofia ao longo do ano), a amizade sempre o ponto chave e de total admiração, tão bem retratada em "O Senhor dos Anéis”, com Frodo e Sam, agora na versão de Bilbo e os anões. 


A galera foi ao delírio na sala de cinema com as excelentes interpretações de Martin Freeman e Ian McKellen, que deram um show a cada cena. O crescimento dos personagens foi ótimo na tela do cinema e a trilha sonora marcante, o final não podia ser mais épico.

Se a saga de “O senhor dos Anéis”, já era considera grande a status de Star Wars, com mais essa adição das aventuras de Bilbo Bolseiro, termos agora a certeza d nascimento de mais uma geração tão fanática quanto a de Star Wars, uma nova geração nasce a partir de agora, muito mais forte do que aquela iniciada em OSDA!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...