domingo, 20 de novembro de 2011

Garotas no Vocal Parte. 2


 Novamente venho postar aqui mais algumas opções de bandas e cantoras femininas que estão presentes na minha vida , afinal, nem só de homens é feita a musica,  uma presença charmosa e  as vezes selvagem faz muita diferença. Então deixa de preconceito e ouve a minha dica, tem para todos os gosto do Folk ao velho Grunge. 



 Babes in Toyland
Essa é uma dica especial para quem curte o rock noventista e feminino, Babes in Toyland foi uma banda estadunidense de punk rock do estado de Minnesota, também encaixada no genero Grunge e no Riot Grrrl, devido as suas variações entre os seguintes generos, formada em 1987 na cidade de Minneapolis por Kat no vocal e Courtney Love no Baixo após fracassarem no projeto musical Sugar Baby Doll, Love logo foi demitida da banda por sua amiga e ex-namorada Kat, devido a suas personalidades fortes e dificil que vez ou outra se batiam de frente.
kat Bejlland

Entre 1989 e 1995, a banda gravou três álbuns de estúdio, que foram associados ao grunge crescente movimento musical da epoca liderado por Nirvana e compania.

Os membros principis do Babes in Toyland, foram Kat Bjelland, vocalista e guitarrista, Lori Barbero na bateria e Michelle Leon assumindo o baixo.


A sua estréia foi com o álbum "Spanking Machine", lançado em 1989 como EP e em 1990 como Albúm de Estudio, que acabou chamando a atenção de Thurston Moore do Sonic Youth, que convidandou a banda para acompanhar o Sonic Youth em sua turnê pela europa.

"Spanking Machine" foi lançado na Inglaterra e logo conseguiu uma grande repercussão nas paradas britanicas. John Peel nomeou o álbum como seu favorito de 1990, e realmente  o albúm é incrivel dentro das conciderações de uma banda feminina da epoca, bem arranjado e selvagem, um album furioso por si só, com os poderosos vocais de Kat.

"To Mother" também lançado em 1990 no segundo semestre, entrou no top 10 e ficou lá por um incrível 13 semanas.

No início de 1992, Michelle Leon, Baixista do Babes in Toyland decide amigavelmente deixar a banda e foi substituída por Maureen Herman (uma antiga amiga e admiradora da banda).

"Fontanelle" saiu em agosto de 1992. Foi seguido em junho de 1993 por Painkillers.

A banda se separou,  quando Herman deixou a banda em 1996, deixando para que Dana Cochrane, da banda "Mickey Finn", tocasse baixo para a banda em alguns shows ao vivo.
Formação classica do Babes in Toyland
Michelle Leon, antiga membro da banda, voltou à banda por um curto período de tempo em 1997.

Ken Bjelland e Barbero tocaram com uma nova baixista, Jessie Farmer, em 2000. Porém, um ano antes, Bjelland havia formado uma nova banda, Katastrophy Wife, o que parece substituir o Babes in toyland como o principal veículo de Ken Bjelland.

Babes in Toyland (com Farmer na bateria) tocou em um show de reunião chamado de "The Last Tour" em 21 de novembro de 2001 - o show foi lançado como álbum ao vivo intitulado de "Minneapolism" - e essa pareceu ser a última atividade oficial do Babes in Toyland.

Bjelland, em 2002, tocou em alguns show pela Europa com o nome de "Babes in Toyland" juntamente com outra baixista e baterista, mas teve que parar de usar o nome "Babes in Toyland" após Barbero e Herman processar Bjelland por direitos legais.

Então o que resta da banda é o material lançado lá nos anos 90 e o que tudo indica a banda não voltará, uma pena essa foi uma das bandas femininas com mais furia e peso que conheci, suas musicas são pura selvageria, com uma docilidade feminina, uma das qualidades que não vemos em muitas bandas, vale a pena baixar os albúns mas para quem deseja só conhecer indico a musica "Bruice Violet", feita de Kat par seu antigo amor e desafeto, Courtney Love e "Ripe" que tem um som de peso.

     Discografia oficial

    1989 - Spanking Machine (álbum de estúdio)
    1990 - To Mother (EP)
    1992 - Fontanelle (álbum de estúdio)
    1993 - Painkillers (EP)
    1995 - Nemesisters (álbum de estúdio)



Katastrophy Wife




Katastrophy Wife é uma banda de rock americana formada por Kat Bjelland e seu ex-marido Glenn Mattson em 1998.

A banda era um projeto paralelo de Kat enquanto ainda estava no Babes in Toyland. Vendo o Babes in Toyland parado e não realizando shows, logo o Katastrophy Wife se tornou o principal projeto de Kat Bjelland musicalmente.

A primeira produção musical da banda foi na trilha sonora para a adaptação cinematografica dos quadrinhos "Witchblade" da Dreamworks .
A trilha sonora contava com artistas, como o Buzz Osbourne dos Melvins , Lydia Lunch , Girls Against Boys e Ogilvie Dave de Skinny Puppy .

Em 2001, a banda gravou seu álbum de estréia " Gone Away", que alcançou o sucesso nas paradas indie considerávelmente. A faixa de abertura do álbum, " Gone Away ", foi lançado em 2001.

Depois da apresentação no Festival de Reading, Glenn Mattson e Keith St. Louis saem da banda, e são substituidos por Adrian Johnson e Andrew Parker respectivamente. Vanessa White, ex-guitarrista do Twist, também se junta à banda.


Durante a curta turnê do Katastrophy Wife pela Europa em 2002, Kat Bjelland usou o título de sua antiga banda Babes in Toyland em algumas apresentações . No entanto, depois de enfrentar problemas legais com os membros da antiga banda, Bjelland reconsiderou e voltou o nome de volta para Katastrophy wife.

Por esta altura, Courtney Love da Hole anunciou seu novo projeto a banda punk Bastard, e pediu para que  Bjelland integrasse o grupo. Bjelland não aceitou o convite, afirmando que:

    "Parecia muito conceitual, como se tivesse passado muito tempo pensando  e planejando sobre como a banda deveria ser [...] Courtney e eu fizemos muitas músicas juntas, há uma faísca boa lá, mas vamos dizer que a nossa personalidade não teria sido uma boa mistura naquele momento. "

Kat (segunda a esquerda)  e Courtney (ultima a direita) em épocas de Sugar Babydoll

 O segundo álbum de estúdio do Katastrophy, foi lançado em junho de 2004 com criticas favoráveis. Três  singles foram lançados do álbum, "Liberty Belle", "Money Shot" e "Valient Blue", uma canção originalmente escrita e gravada durante as sessões para Witchblade.

A banda promete o terceiro album desde 2006, mas ate agora nada ainda. Foi relatado em 2007, que Bjelland sofre problemas de esquizofrênia e estava recebendo tratamento.O que resta é esperar e curtir os sons antigos de kat, seja no Babes ou no Katastrophy.




Joan Baez
Joan Baez foi compositora e intérprete de música popular desde o início 1960 até os dias atuais, com uma enorme e bela discografia, como só os monstro da musica consegue fazer, a exemplo de Bob Dylan, Leonard Cohen e Neil Young.

A carreira profissional de Baez começou em 1959, lançou pela Vanguard Records no ano seguinte seu álbum de estréia, "Joan Baez" que realmente é um albúm muito bom e impossivel enjooar dessa joia rara do Folk minimalista e puro, uma coleção de baladas tradicionais que vendeu moderadamente bem, chamando a atenção pela qualidade do repertório e por seu talento na guitarra acústica, aliado a sua bela voz de soprano.
Com apresentações regulares, Joan Baez tornou-se um fenômeno artístico. Em 1963, já era considerada uma das cantoras mais populares dos Estados Unidos.
Joan Baez em 1960
Em 1964 lança o disco Joan Baez 5, incorporando neste trabalho uma seleção de populares canções folk dos Estados Unidos e da América Latina, com destaque para interpretações de composições dos músicos brasileiros Villa-Lobos e Zé do Norte. 
Além de folk tradicional e canções de protesto, ajudou a promover a carreira de Bob Dylan, impressionada com suas composições iniciais e incluindo várias delas em seu repertório. 
Acabaram tornando-se namorados por um tempo, mas o relacionamento acabou em 1965 tanto que joan é considera a rainha da Folk music e Bob o rei. 
Entre seus sucesso desta época, destaco as otimas: "We shall overcome", "Donna, Donna"e "Silver Dagger" com Dylan.

Joan, também tocou no Festival Woodstock, numa época em que estava inteiramente envolvida na luta contra a Guerra do Vietnã e causas sociais.


Nos anos 90, apesar das mudanças constantes de gravadora, Baez continuou lançando seus álbuns. O CD "Ring them bells", de 1996, foi considerado o melhor trabalho de folk contemporâneo do ano, por revistas especializadas no gênero. 
Em 2008, Joan Baez comemorou os 50 anos de sua carreira musical com turnês pelos Estados Unidos e Europa. 
Também lançou o CD Day After Tomorrow, de 2008, produzido pelo cantor e compositor Steve Earle. 
 


Juliette lewis and Licks
Lewis nasceu em Los Angeles, Califórnia. Seu pai é o ator Geoffrey Lewis. Lewis queria ser atriz desde os seis anos de idade, participou de mais de quarenta longa metragens e filmes feitos para a TV.

Porém citarei aqui suas qualidades vocais, sua carreira paralela de cantora, liderando o grupo Juliette and the Licks bnada de indie rock e alternativo, lançando apenas  dois álbuns de estudio. Entre seus colaboradores está a compositora Linda Perry do grupo 4 Non Blondes,  em 2006 foi incluída na lista de "Mulheres mais quentes do Rock" da revista Bender devido ao seu estilo ´peculiar e diferenciado e sua personalidade pra lá de marcante.

Formou sua banda de rock estado-unidense em 2003, sendo Lewis a vocalista da banda. A banda encerrou suas atividades em 2009 deixando apenas dois albuns de estudio o "You're Speaking My Language de 2005 e o ultimo "Four on the Floor" que considero o melhor,  de 2006. Uma pena  a banda acabar, Juliette ate que dava conta do recado.




She and him
 She e Him é uma banda folk e alternativo americana de indie pop constituida por Zooey Deschanel no vocais, piano e banjo e M. Ward na guitarra e produção.

Formada em 2006, em Portland, Oregon. Seu primeiro álbum, "Volume One", foi lançado em março de 2008 e logo entrou nas principais paradas.

Zooey trabalhando como atriz se encontra pela primeira vez com WBlondie, Debby Harry,Theard no set do filme "The Go-Getter", em que teve um papel de protagonista. O diretor, Martin Hynes, apresentou-os uns aos outros e lhes pediu para cantar um dueto juntos para ser lançado nos créditos finais do filme.

A música escolhida foi "When I Get to the Border" de Richard & Linda Thompson.

Ward, tinha ouvido previamente Zooey cantar no filme "Elf", ficou surpreso ao saber que ela própria escrevera canções, mas não tinha uma carreira musical.

Zooey tinha feito em sua casa algumas fitas demos, porém já que estava se tornando uma celebridade de renome na area de atuação cinematografica, não deu tanta importância.

Por um pedido, ela decidiu enviá-las para Ward.

Ward chamou-a pouco tempo depois , dizendo-lhe que gostaria de gravar suas canções corretamente, assim surgindo a banda She & Him.

Zooey, disse em uma entrevista: "Eu sempre amei a música, desde que eu era pequena. Eu só gostava de cantar".

 Discografia de estúdio
    Volume One-2008
    Volume Two - 2010
    A Very She & Him Christmas -2011




Blondie
Blondie é um banda de Nova York, que ganhou sucesso no final dos anos 1970 e início dos anos 1980. Foram um dos pioneiros nos gêneros musicais new wave e punk rock com vocal feminino.

Debby Harry e Chris Stein formaram os "Angel and the Snakes", mudando depois o nome para Blondie, inspirado pelos comentários de caminhoneiros que frequentemente gritavam "Hey Blondie!" para Deborah ao passar na estrada.

Começaram por tocar no Club 51 em Nova Iorque e lançaram o seu álbum de estréia, "Blondie", em 1976, que alcançou sucesso comercial primeiramente no Reino Unido.
"Plastic Letters", o segundo disco da banda alcançou duas músicas nas paradas britânicas.

Em 1978, através do sucesso "Heart of Glass", a banda alcançou sucesso mundial, tornando-se um dos ícones do New Wave e Debby se tornou a queridinha da musica.
Voltaram a fazer sucesso com a música "Call Me", de Giorgio Moroder, que foi tema do filme Gigolô Americano.
Depois de muitos problemas internos, reuniram-se em 1982 para lançar The Hunter e pôr um fim temporário à banda, que só voltaria a gravar em 1999, com o grande sucesso de Maria, do álbum No Exit.

Discografia:

     Blondie (1976)
    Plastic Letters (1978)
    Parallel Lines (1978)
    Eat to the Beat (1979)
    Autoamerican (1980)
    The Hunter (1982)
    No Exit (1999)
    The Curse of Blondie (2003)
    Panic of Girls (2011)

The Slits

The Slits foi uma banda britânica de punk rock lá dos anos 70, também pioneiras. O quarteto foi formado em 1976 por membros das bandas The Flowers of Romance e The Castrators.

Os membros foram Ari Up (Arianna Forster, falecida em 20 de outubro de 2010) e Palmolive (Paloma Romero, que depois saiu da banda para se juntar ao The Raincoats), com Viv Albertine e Tessa Pollitt, substituindo os membros fundadores, Kate Korus e Suzy Gutsy.

Palmolive foi substituída pelo baterista Budgie (aka Peter Clarke), que fez parte do The Spitfire Boys e depois do Siouxsie and the Banshees.

Embora nem todos os integrantes fossem exclusivamente mulheres, as três principais integrantes do sexo feminino apareceram em mais capas de discos e fotos de publicidade, e o grupo foi geralmente apresentado como uma banda feminina.



Discografia de estúdio

    Cut (1979)
    The Slits (1980)
    Return of the Giant Slits (1981)
    Trapped Animal (2009)



Julie Ruin e Le Tigre
Julie Ruin é a gravação independente de Kathleen Hanna ex- Binini kill, lançada em 1997 sob o pseudônimo de "Julie Ruin" - esta gravação independente de Kathleen Hanna foi feita durante um hiato de sua banda, o Bikini Kill.

O álbum aborda temas como o feminismo, crochê, ginástica e resistência ao abuso policial. O álbum, por ser underground e independente, foi gravado no apartamento da própria Kathleen Hanna, em Olympia, Washington.

Apesar de este projeto ser conhecido por ser uma gravação feita totalmente por Kathleen Hanna, e conhecido também por ser apenas um álbum. Mais tarde, esta banda tornou-se conhecida por Le Tigre.

Le Tigre é uma banda de electro estadunidense fundada em 1998, na cidade de Nova Iorque, Estados Unidos.A banda é conhecida por suas letras que defendem temas como feminismo e a comunidade GLS seguindo as mesma linhas tematicas do Bikinni Kill e de Julie Ruin só que com outra sonoridade.

Discografia de Le tigre em estudio

    1999 - Le Tigre
    2001 - Feminist Sweepstakes
    2004 - This Island

Faixas do projeto de Julie Ruin:

  Radical or Pro-Parental /V.G.I. / A Place Called Won't Be There/   Tania/Aerobicide/ Apt. #5 / My Morning Is Summer/   I Wanna Know What Love Is /The Punk Singer / On Language/Crochet/ Interlude/Stay Monkey / Breakout a Town/ Love Letter/

2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...